Hoje eu escrevo pra você

escrevo hoje para você

Escrevo hoje para você.

Você que não consegue me entender.

Você que me interpreta à contrapelo.

Você que não alcança o meu tempo.

Você que me sente como vento a bagunçar os seus pensamentos.

Você que busca cartesiano onde tudo é abstrato e atravessamento.

Você que não se vê aqui dentro.

Ou que se encontra e estranha o seu lugar em mim.

Você que me reverbera no medo, na dúvida.

Você, pra quem posso falar demais.

Você que questiona o meu silêncio.

Você que acha minhas ideias tortas.

Você que enverga, mas não quebra.

Você que sente raiva e revolta.

Você que me acolhe – que se acolhe – e volta.

Você que de alguma forma se encontra em mim.

Você que passou meses (anos) sem vir.

Você que dobrou a esquina oposta

Você que passa por aqui.

Você que está comigo há anos.

Você que, apesar de tudo, não desistiu de mim.

E nem eu de você.

Você também pode gostar

Deixe aqui o seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *