Doze minutos

12 minutos

Doze minutos é tempo pra te dar um beijo bem demorado

Tempo pra ter medo

Pouco tempo pra dormir uma noite inteira

Tempo demais pra ficar acordada quem espera

Tempo que dura um segundo

Tempo de doze horas

Tempo pra uma dose

Tempo pra um “nunca mais”

Tempo pra uma despedida

Tempo pra ler um capítulo

Duas crônicas

Tempo pra se demorar numa poesia

Tempo pra brincar com uma criança

Tempo pra entender que é o fim

Tempo suficiente pra querer mais tempo

Tempo pra se (re)apaixonar

Tempo pra um banho de mar

Tempo pra ativar a vitamina D ao sol

Tempo pra quem não tem tempo

Tempo de um cochilo pra quem trabalha demais

Tempo de um almoço pra quem vive correndo

Tempo pra um acaso

Tempo pra um reencontro

Tempo pra se perder no tempo e ampliar o tempo dentro de uma poesia

Tempo de um dia

Tempo de uma vida

Doze minutos é o tempo que eu tenho pra escrever esta crônica fora de tempo antes que hoje vire amanhã e já não seja mais quarta-feira e eu não tenha mais tempo.

Espero que tenha dado tempo de chegar até você.

Você também pode gostar

nosso entrelugar
nosso entrelugar
Luciana Targino

Nosso entrelugar

Seguimos queimando rio adentro. Mar, memórias, ar, flutuando num instante-quase, num entrelugar que fora meu…

Leia Mais »

Deixe aqui o seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *